27 de fevereiro de 2016

Matriz de Treinamento




A Matriz de Treinamento é uma das ferramentas de gestão mais importantes na empresa e principalmente para quem deverá cuidar das aplicações desses treinamentos ao trabalhadores da empresa. Nela você relaciona os Treinamentos e as Funções dos colaboradores para uma consulta simplificada.

Toda empresa deve ter um Plano Anual de Treinamento onde será apontado a necessidade de capacitar ou reciclar seu pessoal, afim de termos uma melhor produtividade, melhor desenvolvimento e menos acidentes.

Com a M.T conseguiremos planejar as melhores datas para a realização dos treinamentos para cumprimento das normas regulamentadoras e instruções internas. Vale ressaltar que esse documento é apenas um dos documentos que o auditor do ministério do trabalho gosta de ver, pois nem toda empresa se utiliza de uma matriz de treinamento, mas ele indica organização, mesmo que não tenha sido cumprido ainda alguns treinamentos ela aponta a necessidade da sua realização.

Para a elaboração do Plano Anual de Treinamento e o preenchimento da nossa Matriz de Treinamento torna-se necessário seguir algumas etapas:

1º Passo - Levantar as Necessidades de Treinamento;
2º Passo - Diagnosticar os Problemas;
3º Passo - Elaborar o Programa de Treinamento;
4º Passo - Executar os Treinamentos;
5º Passo - Analisar os Resultados;


Para se trabalhar de uma forma bem organizada e consciente o correto é utilizar o PPRA - Programa de Ricos Ambientas da empresa, dessa forma conseguiremos ver os riscos que temos e também a necessidade de qual treinamento e dessa forma poderemos começar a montar nossa matriz sem complicações.


Como organizar os treinamentos
A organização é fácil, seu cumprimento que é mais complicado pois nem tudo que planejamos conseguimos executar no período estipulado, seja por razões de verba, logística ou tempo e dessa forma nosso planejamento fica bagunçado e é de grande importância mantê-los na matriz pois se não forem concluídos no período programado ele ainda estará ali para que possamos reagendar para outro período mais conveniente.

Informação X Relevância
O objetivo da matriz é dar uma visão geral dos treinamentos que você está administrando, sendo assim quanto maior a informação, melhor será a matriz, mas lembre-se inclua somente informações relevantes para que a matriz não fique poluída e você perca a visão geral do seu gerenciamento.

Como Usar
Na Matriz de Treinamentos vamos apontar os colaboradores e suas funções e o treinamento que deve ser realizado.

Aponte se o treinamento será realizado por pessoal interno ou se depende de terceiros.

Destaque qual a modalidade do treinamento, carga horária do treinamento, validade da certificação, quantidade de participantes.

Configure a planilha de Matriz de Treinamento conforme sua necessidade, a planilha está desbloqueada para que você possa fazer um bom uso dela.


Faça Download Grátis  da Planilha de Matriz de Treinamento.


Matriz


Se gostou desse artigo e da Matriz de Treinamento, deixe seu comentário.

Bons Estudos.




  •  Facebook
  •  Twitter
  •  Google+
  •              Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF   

20 de fevereiro de 2016

Gerenciamento de Brigada de Incêndio



Gerenciar uma brigada de incêndio não é uma tarefa muito fácil, mas depois que se consegue coloca-la em ordem, ela se torna uma excelente ferramenta de prevenção a incêndio.

Já gerenciei algumas brigadas e sempre tive exito no trabalho, mais não se engane, a brigada de incêndio não só um grupo de pessoas que combatem principio ou incêndios e sim "Um Grupo de Pessoas Muito Bem Treinadas" para atuar onde e quando houver a necessidade de agir em uma emergência.

Uma grande falha nas empresas que montam suas brigadas é a questão de não fazer uma seleção apropriada, com isso ela absorve pessoas que não são muito comprometidas com os quesitos de uma brigada de incêndio. As vezes essas pessoas não são aplicadas ou tem limitações quanto algum atendimento ou procedimento necessário.

Para que possamos entender melhor vou explicar por tópicos, dessa forma vamos ter uma visão mais abrangente e poderemos fazer as correções na nossa administração de gerenciamento da brigada de incêndio da nossa empresa.

Nota 1: Esta é a legislação que nos dá os parâmetros para formação, gerenciamento e treinamento da Brigada de Incêndio elas priorizam e fazem a exigência legal da brigada de incêndio nas empresas: NR23 Proteção Conta Incêndio, IT17-14 CBPMESP - Brigada de Incêndio, ABNT NBR 14.276 – Brigada de Incêndio, Decreto Estadual 56.819-11.

1 - Levantamento
Para iniciar a ideia de se ter uma brigada de incêndio na empresa, precisamos primeiro de tudo fazer um estudo da nossa planta. Conhecer nossos riscos, medidas de controle, equipamentos que dispomos, procedimentos de emergência entre outros.


2 - Dimensionamento
Precisamos saber quantas pessoas irão participar dessa brigada e para isso teremos que nos utilizar de algumas normas e o CNPJ da empresa, vamos precisar saber:

CNAE principal;
Grau de Risco;
Ramo de atividade;
Quantidade total de funcionários registrados no CNPJ;
Quantos turnos de trabalho;
Quantidade de funcionários por turno;

NR04 - Sesmt;
NR05 - Cipa;
IT17-14 - Brigada de Incêndio;

Nota 2: Cada Estado aplica uma norma pertinente a Segurança Contra Incêndio, aqui no Estado de São Paulo se aplica o Decreto Estadual 56.819-11 e a IT17-14 CBPMESP atreladas pela NBR14.276 e Norma Regulamentadora NR23.
Observe o que seu estado aplica, se não tiver certeza ligue em um posto do Corpo de Bombeiros e tire a dúvida.

Nota 3: Em alguns estados é necessário que o instrutor de brigada seja cadastrado junto ao Corpo de Bombeiros assim como a empresa que presta o serviço de treinamento. Observe a legislação do seu estado.

A IT17-14 já nos dá os parâmetros para o dimensionamento da brigada e também o nível de treinamento que será necessário, ficando assim: 

04 horas - Nível Básico;
08 horas - Nível Intermediário;
24 horas - Nível Avançado;
Cada um desses níveis com seu respectivo conteúdo programático que deverá ser aplicado a risca.

Esse dimensionamento é chamado de Cálculo de Brigada de Incêndio e é um dos documentos que deve estar arquivado junto ao prontuaria dessa brigada de incêndio.
Para se fazer o cálculo basta ter atenção nas instruções da IT17-14 que com certeza o calculo sai certinho.

Divulgação
A divulgação da Brigada de Incêndio é algo simples, basta espalhar pela empresa os cartazes, colocar no mural, nos pontos onde os funcionários tem acesso, no jornalzinho da empresa, enfim, qualquer forma de divulgação é valida desde que atinja o publico certo.

Inscrições
Devem ser feitas preenchendo uma pequena planilha de dados do participante para que posteriormente se faça  uma seleção mais aprofundada em uma entrevista.

Entrevista
Aqui temos que tomar cuidado, pois é o ponto onde já estamos basicamente admitindo o participante para fazer parte de nossa brigada. É recomentado que tenha um psicologo junto ou que o mesmo faça a entrevista, mas na sua falta o Técnico de Segurança pode fazer sem problema nenhum.

Critérios de Escolha
Observe bem quem é entrevistado e os dados que ele preencheu, busque sempre pessoas calmas e proativas, busque pessoas que esteja em plena saúde, que não tenha "medo" das atividades de uma brigada de incêndio ( exemplo: Medo de sangue, medo de local fechado etc... essas são fobias normais para o ser humano elas não desabonam o profissional, mais para a brigada de incêndio não é recomendado.).

Cuidado também com os super heróis ( Super Brigadista ), aquele que muito sabe ou é afoito pode nos trazer complicações em situações de emergência.

Dê prioridade para pessoas mais centradas e clamas, procure por pre-disposição no assunto isso quer dizer, pessoas que tem afinidade real com o tema em questão.

Exames Médicos
Os exames são importantes para se ter certeza de que essas pessoas não vão sofrer de algum mau súbito quando for exigido uma resposta a emergência. normalmente o médico do trabalho irá apontar os exames e dar como apto ou não o participante.
Para cada uma das funções da brigada é necessário um tipo de exame, assim como segue a tabela abaixo.

ATUAÇÃO
ATIVIDADE
REQUISITOS BÁSICOS
REQUISITOS DE SAÚDE
CONTROLE MÉDICO

COMANDO

Treinamento técnico e físico. Estabelecimento de normas de procedimento.
Centralização de decisões operacionais.
Seleção de equipe.
Capacitação técnica
Liderança
Estabilidade psíquica
Aptidão física
Treinamento em primeiros socorros

Normalidade cardiocirculatória
Sem antecedentes de distúrbio respiratório crônico.
Adequação peso altura
Atividade física regular
Boa acuidade visual
Sem antecedentes de instabilidade psíquica
Sem antecedente neurológico central
Sem restrição ortopédica
·    Questionário de saúde
·    Exame clínico
·    Teste Ergométrico
·    RX de Tórax
·    Espirometria
·    Glicemia de jejum
·    Eletroencefalograma
·    Acuidade visual
·    Audiometria tonal
LINHA DE FRENTE
Operação de equipamentos
Atuação emergencial direta
Inspeção preventiva
Liderança emergencial
Capacitação técnica
Liderança
Estabilidade psíquica
Preparo físico
Aptidão física
Treinamento em primeiros socorros
Normalidade cardiocirculatória
Sem antecedentes de distúrbio respiratório crônico.
Adequação peso altura
Atividade física regular
Boa acuidade visual e auditiva
Sem antecedentes de instabilidade psíquica
Sem antecedente neurológico central
Sem restrição ortopédica
·    Questionário de saúde
·    Exame clínico
·    Teste Ergométrico
·    RX de Tórax
·    Espirometria
·    Glicemia de jejum
·    Eletroencefalograma
·    Acuidade visual
·    Audiometria tonal
APOIO OPERACIONAL
Atuação emergencial indireta
Com suprimentos, logística, comunicação e controle de informação.
Estabilidade psíquica
Capacitação técnica
Aptidão física
Trein. em primeiros socorros
Sem antecedentes de instabilidade psíquica
·    Exame clínico
·    Acuidade visual

APOIO TÉCNICO
Atendimento médico e de enfermagem.
Operação de rede elétrica, hidráulica.
Profissionais de comunicação
Serviço social
Estabilidade psíquica
Capacitação técnica e formação profissional
Sem antecedentes de instabilidade psíquica
Aptidão para as respectivas atividades profissionais
·       Exames do PCMSO para as respectivas funções


Bonificação/Gratificação
Muitas empresas fazem uma bonificação para incentivar o trabalhador a continuar na brigada de incêndio, seja ela descontos na alimentação, cesta básica, pagamento de um determinado valor junto ao salário, enfim as bonificações são variadas, mais vale ressaltar que não é obrigatório, a empresa bonifica para incentivo não que seja obrigada por qualquer norma ou lei. O funcionário não tem obrigação de ser brigadista também, por isso a seleção de candidatos.


Treinamentos
Uma brigada bem treinada é aquela que passa por treinamentos constantes, não somente o treinamento anual determinado por norma. As instruções continuadas são o diferencial para que se tenha uma bela equipe de brigadistas e os treinamentos aplicados são os mais diversos e devem seguir também aqueles específicos para o ramo de atividade da empresa.

Para que você entenda melhor vou listar alguns treinamento que fazem parte do treinamento Geral de uma Brigada de Incêndio.


Formação Básica
Prevenção e Combate a Incêndio;
Primeiros Socorros;

Específicos
Equipamentos de Proteção Individual;
Equipamentos de Proteção Respiratórias;
Operador de Motosserra;
Operador de Equipamentos de Guindar;
Produtos Químicos;
Animais Peçonhentos;
Trabalho em Altura;
Espaços Confinados;
Plano de Emergência e Fuga;
Uso de Caminhão Pipa;
Resgate de Vítimas; 
Comunicação de Emergência;
Entre outros mais.

A empresa sempre deve fazer simulados práticos para testar os conhecimentos dos brigadistas e também o tempo de resposta que ela tem.

O brigadista deve receber instruções constantes para que sempre esteja com os conhecimentos renovados, assim quando for necessário ele irá saber o que fazer para dar auxilio.

Documentos 
Toda documentação gerada em função dessa brigada deverá ficar arquivada na empresa no prontuario da Brigada de Incêndio. Desde de o Cálculo da brigada até os certificados de treinamentos. Então seriam alguns desses documentos:

Calculo de Brigada;
Fichas de Inscrição;
Exames Médicos;
Cópia dos Certificados dos Treinamentos Ministrados;
Plano de ação da Brigada;
Organograma da Brigada;
Plano de Emergência;
Atestado de Brigada ( deverá ser gerado após o treinamento por quem o ministrou);
Entre outros que serão gerados no decorrer do ano de gerenciamento dessa brigada.

Reuniões
As reuniões da brigada são semelhantes as da Cipa, são necessárias para alinhar as informações pertinentes a todo o grupo como: Datas de treinamentos, correções necessárias, simulados, esclarecimento de duvidas, aplicação de novos procedimentos, imposição de tarefas para os participantes da brigada, apresentação de novos recursos para toda equipe e assim por diante.

Devem ter uma lista de presença com conteúdo programático para constar os tópicos abordados e também pode-se lavrar uma ata, como se faz na cipa. Isso garante que tudo o que foi passado nessa reunião fique documentado para posterior conferencia. 

Atribuições da Brigada
São atribuições da brigada de incêndio
Ações de prevenção:
Exercer a prevenção, combater princípio de incêndio e efetuar salvamento;
Conhecer e avaliar os riscos de incêndios existentes;
Participar das inspeções regulares e periódicas dos equipamentos de combate a incêndio;
Conhecer todas as rotas de fuga;
Conhecer a localização dos dispositivos de acionamento do alarme de incêndio(botoeiras);
Conhecer todas as instalações do prédio;
Verificar as condições de operacionalidade dos equipamentos de combate a incêndio;
Conhecer o princípio de funcionamento de todos os sistemas de extinção de incêndio (sprinklers, CO2, Pó Químico Seco - PQS, Água Pressurizada – AP, etc);
Elaborar relatório quando identificar irregularidades encontradas;
Encaminhar relatório aos setores competentes (SESMT, Manutenção e Segurança Patrimonial);
Orientar à população fixa e flutuante quando tratar-se de simulação;
Participar dos exercícios simulados;

Ações de emergência
Identificar a situação de emergência;
Acionar o alarme em caso de emergência;
Acionar a brigada para abandono de área;
Acionar o Corpo de Bombeiros e/ou ajuda externa;
Cortar a energia da área (se for o caso);
Solicitar primeiros socorros Especializado (ligar para Ambulatório);
A brigada de Incêndio deve combater o princípio de incêndio;
Recepcionar e orientar o Corpo de Bombeiros;

Coordenador da Brigada de Incêndio
Fiscalizar o programa de treinamento da Brigada de Incêndios
Auxiliar a Coordenação Geral a planejar, elaborar e controlar o Plano de Prevenção e Combate a Incêndio;
Fiscalizar a inspeção e manutenção dos equipamentos de Prevenção e Combate a Incêndios;
Selecionar os colaboradores que irão compor a Brigada de Incêndio;
Assessorar a compra de equipamentos de proteção contra incêndios para a execução das missões da Brigada;
Fiscalizar a aplicação dos exercícios de combate a incêndio, abandono do prédio e salvamento;
Elaborar relatório sobre as condições de segurança contra incêndio e também sobre ocorrência e atividades da Brigada.

Líder da Brigada de Incêndio
Atuar em sinistro, coordenando e comandando todos os brigadistas do setor, no combate ao fogo;
Receber e cumprir as orientações do coordenador da Brigada e transmiti-las aos seus liderados;
Inspecionar os equipamentos de combate a incêndio do seu setor;
Fornecer dados para confecção de relatórios;
Reunir os componentes da Brigada para as instruções e avaliar as condições dos equipamentos de incêndio;
Será o responsável por desligar a força geral de todo setor e acionar o alarme de incêndio.

Brigadista 
Será o responsável por iniciar o combate ao principio de incêndio, utilizando os extintores;
Será o responsável por combater o incêndio até a chegada dos bombeiros, formando uma linha de ataque ao fogo com 3 (três) brigadistas para utilizar hidrante;
1º brigadista da linha de ataque deverá lançar a mangueira e conectá-la no registro do hidrante, abrir o registro e liberar a água;
2º brigadista pega o esguicho e corre para ponta e conecta o esguicho na mangueira, aguardar o brigadista nº1 abrir o registro, ficando na posição de ataque;
3º brigadista corre para auxiliar o brigadista nº2;
1° brigadista após abrir o registro corre para auxiliar na linha de ataque ao fogo;
Após controlar a situação o brigadista nº1 fecha o registro.

Os brigadistas deverão receber indicação de como verificar validade de extintores de incêndio, deverão saber como inspecionar hidrantes, deverão conhecer as placas de sinalização de segurança contra incêndio e demais procedimentos operacionais da empresa que estejam atrelados a função da brigada e seus membros.

Tipo de Brigada
É comum dizermos Brigada de Combate a Incêndio e imaginar que esse grupo de pessoas só fazem isso, mas a brigada de incêndio é uma extensão da brigada de emergência, vou explicar.
Depende do que a empresa determina para cada grupo, sendo assim temos.

Brigada de Incêndio
Atua exclusivamente em conter princípios de incêndio, pequenos casos de primeiros socorros e abandono de área.

Brigada de Primeiros Socorros
Atua exclusivamente em atendimentos de primeiros socorros, fazendo treinamento periódico nessa área.

Brigada de Abandono de Área
Atua de forma eficiente na hora de abandonar a planta sinistrada, fazendo a varredura de toda extensão do ponto de sinistro afim de não deixar ninguém para trás.

Brigada de Emergência
Atua em todos os seguimentos, prevenção e combate a incêndio, primeiros socorros, abandono de área, atendimento em emergências diversas como altura, espaço confinado etc.

Brigada Florestal 
Atua exclusivamente em incêndios florestais, seja eles em matas ou canaviais.


Identificação da Brigada
Cada empresa determina como será a identificação visual da sua brigada. Alguns exemplos são:
Bonés;
Camisetas;
Botons;
Braçadeiras;
Dessa forma se torna mais fácil identificar quem faz parte da brigada de incêndio caso seja preciso solicitar algum auxilio.

Recursos Básicos para Brigada
A instalação e a distribuição dos equipamentos de combate a incêndio deverá obedecer ao projeto previamente aprovado junto aos corpo de bombeiros.

A empresa poderá, visando principalmente o abandono de local em caso de sinistro, conforme os riscos de cada andar e setor, distribuir outros equipamentos e materiais discriminados a seguir:

Capacetes;
Luvas de raspa;
Lanternas ;
Macas;
Cadeira de rodas;
Kit de primeiros socorros;
entre outros e pode possuir também o DEA - Desfibrilador Externo Automático, lembrando que para seu uso o brigadista deve passar por treinamento específico.

Considerações
Um incêndio pode tomar vastas proporções se não for controlado em seu início, e esta ação instantânea dependerá da relação homem / aparelhagem. Se obtivermos um bom nível de pessoal treinado para intervenção em um incêndio, assim como equipamentos adequados, poderemos estar evitando uma catástrofe, com perdas de bens materiais e humanos. Para isto, devemos estar atentos basicamente em três itens:

1-Correta distribuição dos equipamentos pela área a proteger;
2-Manutenção adequada dos equipamentos anti incêndio;
3-Treinamento do pessoal que irá utilizá-los.

Vou deixar aqui para Download Grátis um Pack contendo alguns materiais para auxiliar no gerenciamento de uma brigada de incêndio.

1 - Check List de Inspeção Mensal;
2 - Cronograma de Ações;
3 - Organograma da Brigada de Incêndio;
4 - Plano de Ação da Brigada de Incêndio;
5 - Cartaz para Divulgação da Brigada;
6 - Ficha de Inscrição da Brigada;
7 - Glossário de Incêndio;
8 - Tabela de Cálculo de Brigada;
9 - Treinamento de Brigada de Incêndio.

 Pack de Documentos da Brigada


Segue alguns vídeos para auxilio.

1 - Vídeo Primeiros Socorros



2 - Vídeo Plano de Emergência





Gostou do artigo?  Deixe seu comentário.

Bom estudo!

Fonte dos Vídeos
Sesi - Projeto 100% Seguro
https://www.youtube.com/channel/UC6VRuvR9oLPSassuoGC5qww




  •  Facebook
  •  Twitter
  •  Google+
  •              Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF   

Cipa - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes



Eu pensei em falar um pouquinho sobre cipa, tendo em vista que na internet ao que se refere a segurança do trabalho o Tema Cipa é um dos que mais apresentam conteúdo. Meu intuito não é ficar fazendo artigos com mais do mesmo, pensei em disponibilizar um treinamento muito bem elaborado e 2 vídeos de auxilio. Vou abordar por baixo o que é a cipa só para termos uma ideia da coisa. 

Como surgiu a CIPA?
A CIPA surgiu de uma recomendação do OIT (Organização Internacional do Trabalho) em 1921 e transformou-se em determinação legal no Brasil em 1944, 23 anos depois (decreto-lei 7036, artigo 82).

Qual a utilidade da CIPA?
Melhorar as condições de trabalho, tanto em processos como em relações entre empregados e direção, com objetivo de prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho. Atuando sempre em conjunto com os demais setores da empresa.

Formação da CIPA
Obedecendo ao Quadro I da NR 05, é dividida entre eleitos e designados. Por meio de votação, entre os empregados surgem os eleitos e os designados são escolhidos pelo empregador. É dividido por partes iguais, se houver 2 eleitos terá 2 designados.

A CIPA é uma das ferramentas de maior importância em uma empresa quando ela funciona, sim quando ela funciona, sabemos que muitas empresas tem a cipa mas é apenas para cumprir norma. A cipa bem treinada e bem estruturada com pessoas comprometidas com os interesses da empresa e dos funcionários com certeza gerará grande beneficio a todos ( funcionários e empresa ).

Vale lembrar que a CIPA não trabalha sozinha, seu papel mais importante é o de estabelecer uma relação de diálogo e conscientização, de forma criativa e participativa, entre gerentes e colaboradores em relação à forma como os trabalhos são realizados, objetivando sempre melhorar as condições de trabalho, visando a humanização do trabalho.

Cabe à CIPA investigar os acidentes e promover e divulgar o zelo pela observância das normas de segurança, bem como a promoção da Semana Interna de Prevenção de Acidentes (SIPAT).

Bom, é isso, já fiz a apresentação da Cipa agora deixo com vocês o material para Download Grátis. Material para treinamento de Cipa, espero que aproveitem bem.


 Treinamento Cipa


Segue link dos vídeos para auxilio.

Cipa parte 1



Cipa parte 2 




Bons estudos!

Fonte dos Vídeos
Sesi - Projeto 100% Seguro
https://www.youtube.com/channel/UC6VRuvR9oLPSassuoGC5qww

  •  Facebook
  •  Twitter
  •  Google+
  •              Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF   

13 de fevereiro de 2016

Lockout / Tagout- Bloqueio e Etiquetagem


Os procedimentos de Segurança de Bloqueio e Etiquetagem ( Lockout - Tagout ) tem intuito de prevenir acidentes de trabalho durante a execução de serviços de Manutenção em Maquinas e Equipamentos onde existe fontes de energias potencialmente perigosas como, Energia Elétrica, Pneumática, Hidráulica, Radioativa, Cinética, Residual, Mecânica ou Química.

A empresa deve possuir procedimentos de segurança e dispositivos apropriados para garantir a integridade de seus colaboradores a fim de isolar ou neutralizar as fontes de energia potencialmente perigosas.

Quando temos procedimentos específicos, dispositivos apropriados e treinamentos bem executados dificilmente teremos algum tipo de problema ou acidente envolvendo essa questão. Mas para isso o Empregador deve estar sempre um passo a frente nas decisões de implantação de procedimento de segurança.

"Lockout" descreve um processo em que os interruptores de alimentação, válvulas, alavancas, disjuntores, etc. são impedidos de entrar em operação. Durante este processo, os dispositivos de bloqueio são usados para cobrir os interruptores de alimentação, válvulas... e são protegidos com um cadeado.

"Tagout" refere-se à prática de etiquetar, deixar um sinal de aviso ou de perigo ou mesmo uma nota individual no interruptor de energia bloqueado, tais como os descritos acima.

Usando as duas técnicas em conjunto o colaborador não mais poderá ser capaz de religar a máquina, dessa forma não permitindo acesso as partes perigosas do equipamento que poderiam gerar danos graves e até mesmo a morte.

Devemos ter como equipamentos ou dispositivos de bloqueio e etiquetagem

Cadeados de Segurança; Trava de Segurança; Cartão de "Perigo"; Etiquetas; Cabos com cadeado entre outros.


Identificação e Cadeados

Caixa Trancado 


Kit completo de Bloqueio e Etiquetagem
               
Garra de Bloqueio


Garra e Cabo de Bloqueio


Leia a segunda parte desse artigo, acesse o link Lockout/Tagout-Bloqueio e Etiquetagem ( parte 2 )
artigo muito bom que complementa esse artigo aqui. Faça Download do material que disponibilizo lá também.               

Nós temos 6 passos para o LOTO - Lockout- Tagout

1.Preparativos para desligar;
2.Desligar o equipamento (painel);
3.Isolar o equipamento;
4.Bloquear (lacrar) e etiquetar;
5.Controlar a energia armazenada ou reativa;
6.Verificar se o equipamento esta desligado;

Cada um deles tem algo a nos dizer em relação a segurança, estarei deixando material para download grátis e nele consta todos os 6 passos e muito mais. Baixe a aula de Lockout- Tagout.


 Lockout Tagout


O Bloqueio e Etiquetagem vem de encontro com várias determinações de segurança de várias Normas Regulamentadoras do Ministério do Trabalho, como NR10 Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade, NR12 Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos ou na NR33 Saúde e Segurança nos Trabalhos em Espaços Confinados por exemplo. Apesar de que esse procedimento se aplica a todas as atividades de riscos potencial de energia, não somente para essas Normas Regulamentadoras citadas. 

Hoje em dia temos procedimentos e dispositivos de alta tecnologia, mais devemos lembrar que mesmo que tenhamos todos os procedimentos e dispositivos top do mercado de nada adianta se não houver a conscientização de nossos colaboradores.

Devemos lembrar que temos que refrescar a memória dos nosso colaboradores com:
DDS - Dialogo Diário de Segurança;
Treinamento aplicado a Bloqueio e Etiquetagem;
Fazer Liberação de Trabalho de Risco;

Em fim, devemos utilizar de todas as ferramentas disponíveis para garantira a saúde e segurança do nosso pessoal.

Segue vídeos que podem ser úteis na hora da conscientização do pessoal. ( 7 vídeos ).













Bons estudos!

Leia a segunda parte desse artigo, acesse o link Lockout/Tagout-Bloqueio e Etiquetagem ( parte 2 )
artigo muito bom que complementa esse artigo aqui. Faça Download do material que disponibilizo lá também. 

Fonte dos Vídeos
SafeQuarry's channel
https://www.youtube.com/channel/UCRZLbDoavI8oNnafhPb0Dlw




  •  Facebook
  •  Twitter
  •  Google+
  •              Print Friendly Version of this pageImprimir Get a PDF version of this webpagePDF